quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Parque da Luz

Primeiro parque botânico de São Paulo. Já passou por inúmeras reformas, sofreu longos abandonos e já foi até utilizado como zoológico municipal. Vamos percorrer sua história e entender como tudo aconteceu.

Fundação do Jardim Botânico da Luz

Primeiro parque de São Paulo, foi idealizado em 1798/99 para servir de Jardim Botânico da Luz, mas sendo instituído somente 1825, sendo o único ponto de lazer naquela época, quando a cidade ainda apresentava muitos aspectos provincianos. Sua utilização como Jardim Botânico foi aos poucos se descaracterizando até que, em 1838, acabou se tornando um simples jardim público, sendo nessa época, uma grande solução de abastecimento de água na cidade de São Paulo.
No dia 23 de outubro de 1883, São Paulo teve sua primeira experiência com a eletricidade, demonstrada no Jardim da Luz. 3 mil pessoas, cerca de 10% da população na época, pagaram 1$000 (um conto de réis) para conferir o que seria um marco histórico na então provinciana cidade de São Paulo. Fundamental foi a nomeação de Antonio Etzel como administrador do Jardim da Luz. Em seu mandato desenvolveu-se um novo traçado para o jardim, com ruas circulares e arborizadas, grandes gramados, o Coreto, o Quiosque, um viveiro e um mini-zoológio, com capivaras, veados, aves exóticas entre outros. E foi assim até o final de sua gestão, em 1930, quando o parque sofreu uma grande desvalorização e abandono.

Abandono e Recuperação do Parque

A partir de 1930, o parque vai, cada vez mais, se deteriorando. Com a retirada dos muros e dos animais, o parque foi se tornando apenas um lugar de passagem, desvalorizando-se como o resto do bairro da Luz. A coisa só muda de figura quando, em 1972, o parque é passado para a administração do DEPAVE recebendo de volta os muros e um tratamento de limpeza e recuperação, com exceção dos animais que antes habitavam os jardins. Volta a beleza natural dos jardins, agora com o nome de Parque da Luz, tombado pelo CONDEPHAAT.

O Parque nos dias de hoje
Atualmente, o Parque da Luz contém uma fauna diversificada com mais de 40 aves catalogadas, entre elas sabiá-laranjeira, sanhaço, chupim, bem-te-vi, periquito verde e rolinha-caldo-de-feijão, além de algumas aves aquáticas como socó-dorminhoco e biguá, e ornamentais como marreco-mallard e galinha d'angola. Foram detectados ainda alguns peixes (carpas e tilápias) nos espelhos d'água e dois exemplares de sagui-de-tufo-branco, que são originários do nordeste brasileiro. O destaque, porém, é para as 6 preguiças que vivem na chamada alameda de figueiras, espécie que provavelmente habita o parque desde a época em que era "Jardim Botânico".

Próximo aos lagos tem uma mini cripta, para se ver de perto os peixes do pequeno lago do parque. O parque ainda conta com 2 playgrounds, bicicletário, sanitários, 3 mesas e 166 bancos, proporcionando um passeio excelente com a família, até mesmo com crianças. É um pedaço de tranquilidade dentro do movimentado centro de São Paulo. Uma vez dentro, parece que se é transportado para longe de toda barulheira e agitação da metrópole, tendo uma oportunidade de se sentar, apreciar a paisagem e ficar perto da diversificada fauna do parque.
O Parque da Luz se encontra entre as estações da Luz e Tiradentes do metrô, a Pinacoteca e de frente para o museu da arte sacra de São Paulo, com acessos da Estação da Luz e pela rua Ribeiro de Lima.
A entrada do parque é gratuita, com horário de funcionamento de Terça a Domingo das 10h às 18h
Praça da Luz s/nº - Bom Retiro
CEP: 01122-000
Tel. (0xx11) 227-3545

3 comentários:

  1. a data da fundação? a unica informação que tive, é a de que foi no ano de 1825...

    ResponderExcluir